secções


Encontrei ontem um package que altera a forma como os capítulos são abertos. Em vez do tradicional “Capítulo 1” sem qualquer formatação especial, este pacote permite alterar a forma como esta informação é apresentada.

O package chama-se fncychap e, claro está, para o adicionar temos que colocar a linha

\usepackage[opção]{fncychap}

no preâmbulo. A opção é o tipo de formatação que queremos usar:

  • Sonny
  • Conny
  • Lenny
  • Glenn
  • Renje
  • Bjarne
  • Bjornstrup

Para todas elas há uma versão para \chapter e \chapter*. A imagem seguinte mostra algumas destas configurações.

Podem encontrar a documentação relativa a este package aqui.

É normal querermos seccionar um texto em partes, capítulos, secções, etc.

Em \LaTeX fazemos essas divisões através de comandos específicos muito intuitivos. São eles:

  • \part
  • \chapter
  • \section
  • \subsection
  • \subsubsection
  • \paragraph
  • \subparagraph

À excepção de \part, todos os restantes formam uma estrutura hierárquica de seccionamento (se assim quiserem chamar 🙂 ).

A grande vantagem em usar estes comando é ficarmos totalmente livres das preocupações com formatações(tipo de letra, tamanho, negrito, itálico…), o \LaTeX faz tudo automaticamente.

Existem, contudo, algumas restrições ao uso de alguns tipos de secções dependendo do tipo de documento(classe do documento), assim, se o documento for do tipo book ou report, a primeira secção permitida é \chapter. Já na classe \article a hierarquia tem o seu topo em \section.

Como já disse o uso destes comandos é muito intuitivo e faz-se da seguinte maneira:

\tipo_de_secção{Título da secção}

Exemplo:

\section{A entropia do Universo}

A numeração de todas as secções é feita também automaticamente. Contudo, pode acontecer que não seja necessário apresentar os números de cada título, ou o autor não os queira apresentar. Para isso, usamos a versão “estrelada” 🙂 .

Exemplo:

\section*{A entropia do Universo}

A versão “estrelada” de \chapter retira as palavras “Capítulo #”.